sexta-feira, 17 de abril de 2015

Agachamento em aparelhos hack e smith , erros comuns e riscos de lesão.

Vejo muitos alunos iniciantes com a desculpa de ser algo mais seguro e de fácil execução utilizando este exercício.

Também vemos atletas fisiculturistas utilizando estes aparelhos com cargas elevadas, e sei que é muito comum que alunos e atletas de musculação possuam grandes incômodos articulares devido a grande intensidade dos treinos.


Em qualquer agachamento guiado, seja hack ou smith, o principal movimento que devemos fazer para distribuir a carga entre as articulações trabalhadas é a projeção do quadril para trás de uma maneira que a carga que está nos ombros fique entre a articulação do quadril e joelhos, assim trabalhando em uma alavanca que distribua igualmente as cargas

 Ao apoiar totalmente a coluna se passa uma falsa imagem de segurança, pois ao realizar o movimento o aparelho não permite o movimento natural do agachamento livre assim gerando uma anteversão do quadril retificando a coluna lombar diminuindo o amortecimento dos discos entre as vértebras.



Em relação a articulação dos joelhos, realizar tal movimento com a carga exatamente alinhada a articulação do quadril, diminui-se totalmente a alavanca do quadril (quem entende de biomecânica sabe que quanto menor a distância da carga em relação uma articulação, menor será o trabalho da musculatura que movimenta tal articulação) sendo assim , diminuindo muito a ação de glúteos e aumentando a compressão patelar.

Temos também uma diminuição da ação de posteriores de coxa que tem um papel importantíssimo na estabilização da articulação dos joelhos. Sendo assim toda carga do exercício está aumentando a compressão patelar podendo acarretar uma possível lesão desta articulação.

Além destas observações existe também para os alunos avançados o fator recrutamento muscular, e para os iniciantes o fator de aprendizagem motora que é maior em exercícios livres.

É importante lembrar que ser um aluno ou atleta avançado não lhe dá imunidade total a um exercício anatomicamente desfavorável pois para compensar a grande força e massa muscular, se utilizam grandes sobrecargas.

Esta visão serve também para pessoas que projetam os pés a frente da barra em um agachamento no smith (gaiola guiada de agachamento) 



Em uma organização de treino, tanto este aparelho quanto o smith, seria melhor aproveitado em treinos metabólicos onde se utilizam menores cargas, permitindo a execução de movimentos até a falha concêntrica (momento que não se consegue mais levantar totalmente), realizando repetições parciais  já que temos a segurança de travar o aparelho com seus ajustes a qualquer amplitude e a qualquer momento.

Existem alguns aparelhos hack mais modernos e melhorados que foram ajustados justamente para diminuir os riscos de lesão como o da fotos abaixo.


Nota-se na figura que o aparelho permite um movimento mais parecido com o agachamento livre e as cargas apoiadas nos ombros ao agachar ficam entre joelhos e quadris distribuindo as forças compressivas nas duas articulações

Há quem se arrisque a fazer exercícios diferentes  neste aparelho, porém ainda prefiro fazer o agachamento livre e suas variações básicas como o retrocesso, afundo, podemos também usar o stiff livre, levantamento terra que sei que são exercícios que promovem maiores ganhos com mais segurança.




Este post não foi feito para ofender ninguém que utiliza este aparelho ou esta postura em seus treinos. Apenas analisar algumas posturas e tornar nossos treinos mais seguros.

Veja mais um post que fiz sobre o exercício agachamento clicando aqui  
                                                 
E ai? "Curtiu"? Compartilhou?