quinta-feira, 26 de abril de 2012

A bebida alcoólica na dieta

Vários estudos mostraram uma relação positiva entre o consumo moderado de álcool e a prevenção de doenças cardiovasculares. Isto se dá uma vez que o álcool aumenta os níveis do HDL (= “colesterol bom”), que remove o “colesterol ruim” da corrente sanguínea, prevenindo o espessamento das artérias (aterosclerose).
O álcool também reduz a coagulação plaquetária, diminuindo o número de casos de ataques cardíacos. Porém, o álcool tem propriedades intoxicantes e pode causar DEPENDÊNCIA. Além disso, o álcool é apenas um dos fatores que pode proteger seu coração se consumido com moderação. Agora, o que é beber moderadamente? Trata-se de uma pergunta capciosa, foco de intensas pesquisas.
De acordo com os estudos, não importa que tipo de álcool o indivíduo escolhe - se cerveja, vinho ou algum destilado - a forma como a bebida é ingerida parece ser importante. Cerveja e vinho costumam acompanhar as refeições, e os alimentos diminuem a absorção do álcool, o que é bom. Pessoas que bebem sem os alimentos costumam exagerar nas doses.



-A moderação é essencial para a saúde, ou seja, 1 dose ao dia para mulheres e 2 doses para homens costuma ser o limite dado nos estudos. Uma dose significa 1 lata de cerveja, 100 ml de vinho ou 40 ml de bebidas destiladas. Isto se dá uma vez que o álcool afeta homens e mulheres de formas diferentes. As mulheres tentem a se intoxicar com doses menores de álcool uma vez que possuem menos água corporal. Além disto, as enzimas que quebram o álcool são menos ativas nas mulheres. Outro problema é que o álcool aumenta a incidência de osteoporose no sexo feminino, e se tornam dependentes com mais facilidade que os homens. A dose de álcool também deve ser diminuída em idosos uma vez que estes produzem menos enzimas, e também porque o álcool dobra o risco de fraturas de quadril nos idosos, além do que o consumo do álcool pode interferir com a ação de muitas medicações comumente utilizadas por esse grupo.
O álcool também é um dos fatores de risco para o câncer de mama. Assim, o aumento do consumo a fim de diminuir o risco de doenças cardiovasculares pode acarretar em outras doenças. Outros cânceres comuns em etilistas são os de boca, esôfago, fígado, vesícula, pâncreas e cólon.
Gestantes e lactantes também devem se abster do álcool, uma vez que a substância é a causa campeã de defeitos na concepção e retardo mental em crianças
Qualquer outra pessoa incapaz de beber com moderação ou que estejam em tratamento ou acompanhamento do alcoolismo deve se abster das bebidas alcoólicas. Indivíduos que fazem uso de sedativos, antidepressivos, anticonvulsivos e outras medicações, devem sempre consultar o médico sobre interação dessas drogas com álcool.
Se você já bebe, faça com moderação. Se não, não se sinta compelido a começar. Lembre-se que o álcool fornece calorias (7 Kcal por grama!) e pode levar ao aumento de peso.
É uma boa idéia consultar seu Nutricionista antes de tomar qualquer decisão sobre sua alimentação.

Para saber mais acesse www.prisciladiciero.com.br